A mulher que roubou a minha vida

Confesso…

Disse a mim mesma que deveria começar a ler uns livros mais sérios; menos adocicados. Mas eles clamam por mim…

Eu os compro e acabo sempre encantada e achando que faço parte daquela história ou que sempre tem um pouquinho de mim aqui ou ali.

Contudo, prometi a mim mesma que depois que ler “Depois de você” que já está acabando (provavelmente já terei acabado quando publicar o texto), lerei Jack Estripador, a biografia do Michel Jordan e do Tite e me livrarei um pouco da doçura que estes livros têm tentado plantar em mim.

Entretanto, a Marian Keyes é foda… Sim, esta é a palavra exata para descrevê-la… Foda.

Ela tem 13 livros e admito ter comprado e lido todos.

Tenho um carinho especial com cada história e cada personagem.

O negócio é tão louco, que sentimos a dor e a alegria de cada um deles. Parece que passamos a fazer parte daquilo. Esquecemos o dia a dia, a rotina e embarcamos em um mundo idêntico ao real e ao mesmo tempo fantasioso.

E é exatamente assim que me senti ao adentrar o mundo de Stella e Mannix.

Admito que durante quinze dias, entre minhas idas e vindas do trabalho; no intervalo do curso, e a cada espacinho de tempo que eu tinha, começava a devorá-lo; ou melhor, continuava a devorá-lo… Fome de leitura… Fome de chegar ao fim e ver em que pé acabaria a história… Uma sede que não cabia em mim…

Eram apenas 472 páginas.

A mulher que roubou a minha vida tem o início meio duvidoso, mas não é diferente do início de outras leituras; e como filmes, o melhor normalmente fica entre o desenrolar da história, meio e fim.

Stella é uma esteticista tão acomodada e acostumada com a sua vidinha, que só percebe que não há mais amor entre ela e o marido quando adoece e permanece por muito tempo em uma cama de hospital.

Dr. Mannix Taylor, é o neurologista responsável por acompanhá-la diariamente.

A vida como a caixinha de surpresa que é, já havia cruzado o caminho dos dois anteriormente, quando meses atrás, ambos haviam se envolvido em um acidente de carro.

Sendo assim, ela ainda havia lhes reservado muito mais.

Graças a ele, a vida de Stella teve voltas e voltas.. Algumas boas e outras nem tanto… E a vida do Dr. Mannix também não foi lá muito diferente.

Mas, às vezes, o nosso mundo precisa de uma sacudidela não é?!

Foi o que ainda que indiretamente, um causou à vida do outro… E ao que me pareceu, que não foi de todo ruim.

;).

Obs: falarei mais sobre a Marian Keyes em um post sobre ela, que está quase pronto. Ela que por sinal, estará na Bienal Internacional do Livro de Sampa deste ano (2016), e irá palestrar no dia 28/08 às 11hs. A Bienal, ocorrerá entre os dias 26/08 ao dia 04/09. Eu estive em uma edição em anos anteriores, mas a quem nunca foi, acho que vale a pena experimentar.
CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta