Banco de Tempo

O lema do banco é:

“Tempo para si. Tempo para os outros”.

O descobri meio sem querer, entre as tantas coisas que leio todos os dias e/ou separo para tal.

Confesso ter ficado fascinada.

Banco de tempo… Significa simplesmente doar-se…

Sem disputas, sem ambições, sem individualismos, sem batalha de egos…

Localiza-se em Portugal.

País que abriu uma infinidade de sorrisos ao surgir a pouco tempo, a oportunidade de passar um tempo por lá, fazendo intercâmbio. =)…

A vida e suas coincidências…

A ideia da implementação do banco no país, surgiu no ano 2000 através de um movimento internacional de mulheres, identificado como Graal, que tem como missão a cultura do cuidado.

Lema do Graal:

“Contribuir para uma cultura do cuidado, cuidado por si, pelo próximo e pelo estado do mundo, onde a solicitude, a justiça e a paz sejam os fundamentos”.

Interessante…

Entretanto, apesar de ter em mãos um conceito incrível, era necessário trabalhar aspectos burocráticos e regulamentadores, buscar apoios, parcerias, recursos e o desenvolvimento da imagem do banco.

Com isto, a primeira agência foi aberta na cidade de Abrantes em 2002.

Como todo empreendimento, o banco trabalha com conceitos, regras, princípios, reuniões, projetos, um canal de comunicação e possui outras 27 agências além desta, em diversos pontos de Portugal Continental.

A função do Graal é atuar como banco central; desenvolver ações destinadas a pessoas que queiram aprofundar se sobre o banco e àquelas interessadas em colaborar na abertura de novas agências; promover a divulgação, articular-se com parcerias nacionais e internacionais; desenvolver atividades, encontros e apoiar agências em funcionamento.

Seus objetivos são apoiar a família e a conciliação entre vida profissional e familiar, através da oferta de soluções práticas de organização da vida quotidiana; reforçar as redes de apoio, diminuir a solidão e promover o sentido de comunidade e de vizinhança; promover a colaboração entre pessoas de diferentes gerações e origens; contribuir para a construção de uma cultura de solidariedade e para o estabelecimento de relações sociais mais humanas e igualitárias; valorizar o tempo e o cuidado dos outros; estimular os talentos e promover o reconhecimento das capacidades de cada um/a.

Como todo banco e entidade, o Banco do Tempo também possui princípios, regras e uma variedade de serviços que poderão ser conhecidos, ao passo em que o voluntário começar a fazer parte dos membros do banco e concordar com as suas diretrizes. Mas apenas para ter-se uma ideia, ao prestar um serviço ou recebê-lo, um cheque de tempo é repassado à pessoa que prestou o serviço, onde se está registrado a duração do serviço e este cheque deverá ser depositado em uma das agências para que seja creditado em sua conta e debitado na conta do membro que o recebeu.

O Banco ainda oferece uma formação inicial através de encontros que se destinam a pessoas que queiram aprofundar-se sobre o banco e em particular a pessoas interessadas em coordenar ou colaborar na abertura e dinamização de novas agências.

Genial…. Só me resta parabenizar os criadores da ideia e às pessoas interessadas em colaborar para o desenvolvimento e crescimento do banco…

… Pessoas de bem!!!

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta