Cinquenta Tons Mais Escuros

Eu… Que ainda me assombro com a audácia, possessividade, machismo, egoísmo do Grey, todas às vezes às quais está passando o filme e paro para dar uma espiadela, me surpreendi ao notar em sua última aparição, que o final foi modificado.

A cena mostra o Taylor levando Anastácia para casa e os dias passando, enquanto os dois estão separados, exatamente como acontece no início do segundo livro da trilogia.

Em Cinquenta Tons Mais Escuros, o Grey continua o mesmo… Com tendências psicopatas, super protetor, autoritário e cheio de manias.

Não obstante, por ela, ele se propôs a tentar mudar, ou melhor, se auto ajustar; inclusive em relação aos seus atos e desejos sadomasoquistas… Mas, uma coisa não mudou e digamos que aparentemente melhorou… O sexo.

Entretanto, diferentemente do texto anterior, neste, quero falar a respeito de coisas que achei muito interessantes sobre as quais o livro discorre.

Não sei se lhes disse, mas o meu interesse era única e exclusivamente saber o porquê d’ele ter se tornado a pessoa que és; e digo por experiência própria, que a vida, os tombos, os términos de relacionamentos sejam eles quais forem e com pés na bunda ou não, nos moldam… É inevitável… E ao ler os três romances, passamos há compreender um pouco mais o mundo ao qual o Grey criou (algo de que falarei, quando vier escrever sobre o próximo e último livro).

O que gostei nestes livros e o que as mentes poluídas e pequenas provavelmente não perceberam é que o livro é de uma cultura sem tamanho.

O livro nos ensina o que é um Blanik L-23 (planador), fala a respeito da magnitude da Biblioteca Britânica de Londres, que contém mais de 155 milhões de livros, além de ser um palco constante de exposições.

Apresenta-nos grandes obras… Seja em forma de leitura ou de músicas… Thomas Tallis, Bach, Coldplay, Nitin Sawhney, Vaughan Williams, Nina Simone, Canteloube, Frank Sinatra, Robinson Crusoé.

Dá nos uma lição sobre carros… Saab 9-3, carro sueco, considerado um dos mais seguros do mundo; Volkswagen Beetle, Audi A3, Audi R8 “Spyder”, Audi Quattro SUV, Mercedes CLK.

Fala também de um cara inteligente e esperto, que largou Harvard e ainda assim, com todos os seus defeitos, construiu um império, tem um tino incrível para os negócios e pensa em todas as formas de ajudar quem precisa.

Este é o Grey, complicado e perfeitinho  (nem tanto e nem tão pouco)… Mas como Anastacia, fui novamente atraída  como Ícaro é pelo sol. O problema é que eu já me queimei antes, e ainda assim, aqui estou de novo.

… Mais uma vez, voando perto demais dele.

Para mim, este livro foi um dos mais mornos; talvez por ser o que intermedeia o início e o término da trilogia.  Ainda assim é cheio de aventuras, suspense e emoção.

A estreia dele está prevista para fevereiro de  2017… Por enquanto, podemos ver um pouquinho do trailer que está rolando por aí.

😉

 

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta