Como eu era antes de você

“Como eu era antes de você.”

Enfatizei o nome do texto com duas letras em itálico, exatamente como está explicito na capa do livro e provavelmente, para dar ênfase à importância do “eu” e “você” a que o livro se propôs.

Fiquei compadecida… E tentarei da melhor maneira possível, descrever o que senti ao lê-lo.

Pensei na vida e no quanto ela é dura… Dolorida… No quanto ela machuca, mesmo que a gente nada faça para feri-la.

Pensei na minha vida… Contudo, esta não é a minha história; mas poderia ser.

Esta é a história do Will e da família Traynor, da Louisa, mais conhecida como Lou e da família Clark; mas também do Nathan, enfermeiro que cuida do Will, do Patrick, namorado da Louisa e de alguns retardatários.

Namorado este que, o começo do livro logo me persuadiu a acreditar que seria ex.

Trata se de uma história de descobertas e redescobrimentos; afinidades, desentendimentos, encontros, contentamentos e tristezas.

… E como li, ao final do livro, nos agradecimentos… Uma história de amor.

Em uma infinidade de vezes, me peguei com os olhos lacrimejados e contive-me para não ficar aos prantos com o livro nas mãos, ao caminho do trabalho ou de casa.

Will era um cara extremamente inteligente, competente, competitivo e amava aproveitar a vida da melhor maneira possível; conheceu muitos dos melhores lugares do mundo, praticou esportes radicais, tinha uma linda namorada, empresa… E aparentemente, tudo o que havia sonhado. Era um cara realizado.

Lou levava uma vidinha simples, regrada; era o apoio financeiro da família, namorava há sete anos e não tinha objetivos, planos ou desejos maiores.

E apesar de morarem na mesma cidade, parecia lhes impossível que houvessem se conhecido, se não fosse o acaso ou o tal do “destino” (o tal do destino é aquele que acreditamos muitas vezes, que anda em conchavo com o tal do amor).

Então um belo dia, uma distração, o maldito celular ou o tal do destino, compactuaram e o Will sofreu um gravíssimo acidente que o deixou tetraplégico.

Lou, trabalhava em um café que com a crise econômica, foi vendido e reestruturado, mas do qual ela não faria mais parte.

Em busca de uma nova oportunidade de trabalho, mas sem estudos e nada de experiência, foi convidada a participar de uma entrevista para o cargo de cuidadora… E foi assim que tudo começou.

Mas… Diferentemente de histórias perfeitinhas com final feliz, com exceção de Titanic, P.S. Eu te amo (filmes que não acho a menor graça… Eu sei, podem dizer que sou sem graça… Talvez eu seja mesmo), este tem um final diferente.

E é perceptível, conforme nos aproximamos do total de 318 páginas devoradas por mim em menos de dez dias.

Bem… Eu contei o início do livro e não seria correto contar o final. Entretanto, digo lhes que é lindo e cheio de detalhes… E a leitura é mais do que recomendada.

Will, que havia se tornado um sujeito amargo e não poderia ser diferente, começou a enxergar a vida de uma maneira mais leve. Lou, passou a fazer o melhor que podia para que o Will, a visse desta maneira e se sentisse melhor.

Ele também a fez enxergar a vida de outra maneira e a se enxergar.

Enfim…

Bom seria, se como no livro, o amor pudesse nos transformar no melhor que podemos ser.

Como eu era antes de você… Na verdade, acho que eles nunca haviam sido; qualquer coisa!

Boa leitura!!!

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta