Dia de Faxina

Estava precisando fazer uma faxina em mim…

… Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados.

Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.

Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões… Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei; joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li.

Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas… E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.

Fiquei sem paciência!

… Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão.

Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste.

Mas lá também haviam outras coisas… E belas!

Um passarinho cantando na minha janela… Aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!

… Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças.

Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.

Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou.

Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!

Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas; se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.

Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos… Como foi bom relembrar tudo aquilo!

Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.

Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar… E de recomeçar…

Obs: Li este texto pela primeira vez entre março/abril de 2012. E lembro de tê-lo publicado na minha página pessoal. Como informado na página do blog no facebook e instagram, estamos correndo estas semanas devido a algumas mudanças, trabalhos extras no final de semana e feriado etc, e em função disto, não consegui concluir os textos que pretendia publicar… Estão pela metade. Contudo, as mudanças me fizeram lembrar do texto “Dia de Faxina”; e acredito que o momento não poderia ser mais propício. O conheci através de um compartilhamento da minha professora de redação, em que um amigo dela havia publicado. Na internet há vários autores para o mesmo texto, sendo assim, não darei nome aos bois até ter certeza do verdadeiro autor. Afirmo apenas não ser meu. Entretanto, espero que gostem.
CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta