ELA – Esclerose Lateral Amiotrófica

Conheci está doença através do filme “Um momento pode mudar tudo”.

O filme não é lá essas coisas (talvez fale sobre ele em algum momento), mas esta doença até então desconhecida para mim, chamou-me a atenção e curiosamente, fui atrás de informações a respeito dela.

A Esclerose Lateral Amiotrófica é uma doença rara e degenerativa do sistema nervoso. Atinge primeiramente os neurônios cerebrais superiores e o neurônio motor inferior na medula espinhal. Neurônios estes, células nervosas especializadas que ao perderem a capacidade de transmitir os impulsos nervosos, dão origem à doença de causa específica ainda desconhecida. Ainda assim, sua causa pode estar relacionada à mutação genética, desequilíbrio químico, doença autoimune e mal uso de proteínas.

Estes neurônios quando atingidos, são responsáveis pela paralisação motora progressiva, de maneira irreversível e limitante. Desgastam-se ou morrem de forma a incapacitar o envio de mensagens aos músculos, gerando enfraquecimento, contrações involuntárias e incapacidade para se mover os braços, pernas e o corpo.

Degradante, piora lentamente, a ponto de fazer com que os músculos do peito parem de trabalhar e a pessoa perca a capacidade de respirar por conta própria.

Sintomas relacionados à ELA:

  • Fraqueza muscular acompanhada de endurecimento dos músculos (esclerose), inicialmente em um dos lados do corpo (lateral) e atrofia muscular (amiotrófica);
  • Cãibras, tremor muscular, reflexos vivos, espasmos, perda da sensibilidade;
  • Engasgos com facilidade, baba, gagueira (disfemia), cabeça caída devido à debilidade dos músculos do pescoço.

Normalmente, a primeira parte do corpo a ser afetada é a mão ou o braço. Consequentemente, vem acompanhado da dificuldade de levantar objetos, caminhar, subir escadas, paralisia; lentidão para se comunicar, alteração da voz, rouquidão e perda de peso.

Infelizmente, ainda não há cura para a doença e nem tratamento.

Porém, neste último final de semana, um grupo de cientistas da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, encontraram a causa da doença; o que os aproxima da descoberta de um remédio que possa combatê-la.

Após estudarem casos da doença ligados a mutações em uma proteína chamada SOD1, descobriu-se que ela cria um aglomerado temporário de três moléculas – chamado de trímero, altamente tóxico para os neurônios motores, o que leva à morte dessas células (G1).

Esta revelação, nos trás esperança e a expectativa de que, ao passo em que esta droga for criada, ela comece ou possa ser testada em aproximadamente dois anos; os testes, lamentavelmente, podem levar até cinco anos.

Contudo, está conquista também poderá abrir caminho para o tratamento de outras doenças neurodegenerativas, como o Parkinson e o Alzheimer.

Talvez, seja um sinal ou uma luzinha, ainda que fraca no fim do túnel… Todavia já é um grande passo e um começo.

Para quem se interessar mais, talvez valha a pena assistir ao filme, não apenas para ver um pouquinho do que a ELA é capaz, mas para acompanhar a descoberta e transformações de cada personagem. Não deixa de ser uma lição de vida. Ou se preferir, tem um tanto de coisas na internet para esclarecer ou clarear as ideias (de onde tirei as informações).

… Eu, continuarei acompanhando, conhecendo um pouquinho mais a cada dia e torcendo muito, para que uma solução plausível seja por fim, encontrada.

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta