Onde houver dúvida, que eu leve a fé

Eu poderia estar matando, roubando, me prostituindo ou cometendo qualquer outro tipo de delito ou ato ilícito, mas estou aqui… Com o coração partido.

… Eu poderia e gostaria de poder recolher-me em meu casulo, e talvez também hibernar, até que a dor se tornasse escassa… Mas não foi me permitido; tive que levantar todos os dias e ir à labuta, encarar a vida que me deram como se fosse o que eu tivesse escolhido e o que eu tivesse de mais importante…

… Bom, não é.

Eu poderia gritar ao mundo tudo isto, mas para quê?!

Ouvirei que não sou a primeira e nem serei a última a passar por isto… E que talvez, mesmo tendo passado por isto algumas vezes, ainda terei que passar outras tantas, mesmo que a única finalidade seja aprender.

Eu poderia ligar, escrever e até tentar redimir-me por algo que não fiz… Por algo do qual se, caso eu viesse a ter uma parcela de culpa, ela seria ínfima… E por isto, não tenho razão nenhuma para me desculpar…

… E não irei.

Já fiz isto tantas outras vezes… Inclusive a você.

… Eu poderia dizer lhe o quão importante foste… Mas você sabe não é?!

Entretanto… Após ter voltado atrás, à única promessa que fiz a mim mesma a seu respeito, saiba que o único motivo pelo qual ela foi quebrada, era para expurgar um pouco da mágoa que assolava tanto meu coração. Mágoa esta, que jamais imaginei que sentiria por qualquer pessoa… Menos ainda, que estas palavras seriam suas… Viriam de você.

Todavia… Soube por aí, que isto poderia me causar danos maiores. Talvez, o tamanho do dano nem esteja em questão, mas convenhamos que seria um pouco injusto, dilacerar me por algo do qual fui acusada sem culpa.

Ainda assim me preocupei com você… Afinal, havia resolvido procurá-lo em um dia imensamente ruim, depois de um tempo relativamente longo. Não sei o que sentiu com a sua perda, mas toda a dor daquele dia se refletiu em mim.

Fiquei demasiadamente triste por você…

Me preocupei… Sabendo que o que você menos precisava era que eu me preocupasse.

Então… Percebi que era hora de partir…

… Percebi que talvez fosse hora de continuar seguindo em frente e deixá-lo ir…

A verdade é que cansei de sempre tentar consertar as coisas… De insistir e tentar entender coisas que não fazem sentido e para as quais talvez nunca tenha respostas.

A vida é e sempre será uma caixinha de surpresas.

Tentar entender o por que… Por que depois de tantos anos… Por que isto e desta maneira… Por que eu e você… É pedir para enlouquecer.

… E sinceramente, talvez tudo isto pouco importe.

Decidi partir…

Sentirei sua falta… E isto é inevitável; contudo, os últimos dias me mostraram que ela será irrisória, até se extinguir.

Mas me disseram que existem outros de você por aí… E existem outros dias, outros sonhos… E a vida.

Tudo passa… E de repente, parece que toda está bagunça perdeu o sentido…

….Enfim!

Suas palavras, ainda ecoam por aqui. Como em uma balança, brigando internamente, tentando equilibrar-se entre o bom e o ruim… De tudo.

Porém, como diz o Planta & Raiz… Segue a vida (deixa rolar…)!!!

Passou…

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta