Os homens são de Marte… E é pra lá que eu vou

Os homens são de Marte… E é para lá que eu vou.

Isto soa meio: “Pare o mundo que eu quero descer.” (risos).

A primeira vez que vi o seriado achei engraçadissimo… E a Mônica Martelli é tão boa no que faz, que soa naturalmente.

Entretanto, vim para falar do filme, que consequentemente é uma extensão.

No filme, ela é a Fernanda. Uma profissional bem sucedida, de 39 anos, que ironicamente trabalha com a produção de lindas cerimônias e festas de casamentos, completamente incompleta ou melhor dizendo, completamente desesperada, que passa o tempo todo em busca do tal do “amor.”

Não sei se pela idade ou porque ultimamente parece que o mundo irá acabar e tem muita gente inquieta atrás do par perfeito e dizendo eu te amo o tempo todo a torto e a direito, mas a Fernanda acaba sempre topando, literalmente, o primeiro cara que lhe cede um pouquinho mais de atenção.

Seus encontros terminam sempre em sexo na primeira vez e ela sempre acha que através do sexo inevitavelmente bom, encontrou alguém especial e acaba se estrepando.

Após sua busca incessante, um cara que ela acreditou que a pediria em casamento e na verdade queria sexo a três, uma viagem à Bahia e a suposta paixão por um gringo que lá residia e várias outras situações que a colocaram à prova, veio a decepção.

Só que aí, ela se dá conta de que o melhor talvez a ser feito, fosse simplesmente deixar acontecer… E quando menos esperava encontrou o que tanto procurava, sem ter tido que procurar.

Acho que como quase todas as histórias, envolve desejos, sonhos, fantasias.

Na verdade, talvez ela seja apenas um pouquinho de muitos de nós.

O elenco é relativamente razoável, divertido e o filme rende boas risadas.

Por ser brasileiro, acho que vale a pena.

Um típico filme bonitinho.

Para quem preferir, a peça ainda se encontra em cartaz em alguns lugares de Sampa e também pelo Brasil afora.

Então…

Façam um balde de pipoca e divirtam-se! 😉

Ah, e só para completar, apesar do filme não ter uma trilha sonora muito extensa, tem uma música que ficou em um cantinho dos meus pensamentos, sem que eu percebesse…

“Haverá um dia em que você não haverá de ser feliz
Sentirá o ar sem se mexer
Sem desejar como antes sempre quis
Você vai rir, sem perceber
Felicidade é só questão de ser
Quando chover, deixar molhar
Pra receber o sol quando voltar…”

Linda… Talvez valha a pena adicioná-la à playlist!!!

Bora lá?!

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta