Rock In Rio

Dia desses, em uma conversa com algumas colegas da faculdade, combinávamos de ir a um daqueles jogos universitários; e entre a resistência de uma e outra, disse a elas que algumas coisas na vida deveriam ser experimentadas ao menos uma vez.

Eu disse “algumas”.

E foi assim que fui para o Rock In Rio em 2013. Na verdade, não foi bem assim…

… Tudo começou em 2011. Ano em que veio Rihanna, Katy Perry, Stevie Wonder, Red Hot, Jamiroquai, Maroon 5 etc. e o pouco que assisti me deu uma visão diferente de algo que na verdade era desconhecido; algo sobre o qual eu não fazia a menor ideia (complicado né?!), mas tentarei explicar.  Mais do que vê-los e aos seus super shows, me encantei por toda aquela estrutura, o mega evento. E conclui que, ainda que eu não curtisse o tipo de músicas tocadas lá, o que me preencheria era a concepção de explorar o novo.

Lembro-me de despertar em mim o desejo de conhecer a “Cidade do Rock” e ter dito a mim mesma que um dia (pensei eu que distante) o faria.

2013… Rock In Rio… Fui surpreendida com o anúncio da vinda de Justin Timberlake… E teria agido exatamente como a “Pequena Miss Sunshine (se não assistiram, assistam)” quando recebeu a notícia de que havia sido selecionada para participar do concurso, se eu não estivesse em um local inapropriado. Juro.

Talvez isto seja meio bobo, mas fã de Justin Timberlake desde a época do Nsync, seria estranho se eu não houvesse tido a seguinte reação: “não sei como vou, mas irei”.

Entre comprar o ingresso e ficar na dúvida se realmente iria, convencer minha mãe (que acha que sou uma das pessoas mais bobas do planeta), arrumar um lugar para ficar e ir, passaram-se cinco longos meses.

E fui… Impressionantemente, sozinha!

Pasmem… Prazer, esta sou eu!

A vida havia me dado uma chance e duas alternativas.

1ª – Ou eu perderia a chance única de ver Justin Timberlake simplesmente por não ter companhia e me arrependeria para o resto da vida (como aconteceu com o Charlie Brown);

2ª – Ou eu meteria a cara como já experimentei algumas vezes, não ficaria dependente de amigos que muitas vezes, na maioria delas, não curte o mesmo que eu ou não estão dispostos a investir a grana e o tempo com o mesmo significado e importância que algumas coisas têm para mim.

Optei pela segunda. Enchi o peito de coragem e voilà.

Fui com uma agência, que fez o transporte de Sampa até lá e vice-versa e a viagem foi super tranquila. Tanto na ida quanto na volta; familiar. Saímos mais ou menos 7hs do dia 15/09, paramos para o almoço e chegamos lá no meio da tarde.

Uau… Foi minha primeira reação ao pisar em solo carioca. E sob pressão da minha irmã mais velha, mesmo a kilômetros de distância, rapidamente, me juntei (na verdade, me ofereci) com algumas meninas que estavam no ônibus, que foram extremamente cordiais e fomos adiante.

Alguns meses depois, descobri que eu e algumas delas, trabalhávamos no mesmo edifício, em andares diferentes.

Mundo pequeno…

Adentrar a cidade do rock foi como ganhar um presente. Aquilo era realmente imenso, encantado e mágico. Provavelmente estava com os olhos brilhando e um sorriso estampado no rosto. Como uma criança feliz, por um momento me esqueci do resto do mundo e não percebi que o sorriso estaria presente durante todo o dia e resto da noite.

Lá dentro tinha de tudo. Barracas com souveniers, casinhas antigas e ruas típicas de cenário de novelas, artefatos de parques de diversões, variedades em lojas, comidas e bebidas e diversos palcos que além dos shows, apresentaram bboys e muita música.

Mas o meu alvo era o Palco Mundo; palco principal com as maiores atrações do dia, aonde tive o imensurável prazer de desfrutar da companhia ilustre de Jota Quest, Jessie J, Alicia Keys e Justin Timberlake.

Sem exceção, os shows foram i-n-c-r-í-v-e-i-s… Incríveis. Minha primeira vez com cada um deles.

Jota Quest… Amei… Já gostava muito e o show foi delicioso. E todas aquelas músicas que não cansamos nunca de cantar… Amor maior, Fácil, Dias Melhores, Encontrar Alguém… Cantei e dancei, acompanhada das minhas novas amigas até cansar. Deu para vê-los de um bom lugar.

Jessie J. Confesso que mau a conhecia, e antes de vê-la, só havia escutado uma música que por sinal não gostava. Mas quando ela entrou no palco… Jesus… Que voz… Que mulher linda… Usava o cabelo escovinha, devido ao apoio que estava dando às crianças com câncer, o que a tornou ainda mais linda. Virei fã… Hoje vivo a ouvindo.

Alicia Keys… A mulher mais linda que já vi a minha vida inteira. Linda… Linda… E canta muito. Não me canso de dizer isto. Parece uma deusa; encanta e toca piano como ninguém.

… JT… Ficou tudo tenso… Todo mundo queria vê-lo… E estavam todos disputando o melhor lugar; inclusive os homens, nada cavalheiros, o que me deixou um pouco abismada. Mas tudo bem… Naquele momento a festa havia ficado completa, meu s2 estava feliz… Minha deusa interior dava cambalhotas e a única coisa que eu poderia fazer era agradecer a Deus pelo presente. Felicidade momentânea e completa. Caraca… Já não me lembrava mais por quantos anos havia esperado por isto… Quer dizer, acho que na verdade, não esperava mais…

Lembrei-me de uma frase. Cuidado com o que você deseja… E percebi que quero desejar um milhão de coisas e momentos bons como este.

O show foi super duper… Justin Timberlake é um artista completo. Canta, dança, toca, interpreta e além de tudo é uma graça. E faz isto tudo muitíssimo bem (mas deixarei para falar mais sobre ele outro dia, em outro texto).

Quero dizer só mais duas coisinhas…

Não tirei muitas fotos este dia e menos ainda fui fotografada. O lance das lembranças é guardá-las na memória e arquivá-las, junto ao coração.

Foi tudo incrível… Cidade do Rock, Rock In Rio; diria a todos para experimentarem isto um dia. Uma vez. Vale muito a pena.

Enquanto isto, eu fico aqui saboreando cada momento e com um gostinho de quero mais…

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta