Sing – Quem canta seus males espanta

Eu nunca fui muito de desenhos; não porque não goste, mas tinha o péssimo costume de assistir apenas quando disponibilizavam no canal pago e só.

Então, ganhei uma sobrinha que veio morar conosco, o nosso lado infantil foi despertado e todos em casa tivemos que voltar a sermos um pouco crianças.

E foi através da Valentina que conheci “Sing – Quem canta seus males espanta.”

O desenho, como qualquer outro filme, conta a história de um coala chamado Buster Moon, que é proprietário de um teatro em decadência, apaixonado por sua propriedade e que está a ponto de perdê-la por tantas dívidas adquiridas pelas dificuldades do tempo.

À vista disso, acreditando ter bolado uma grande ideia, resolve que um show de talentos será a única coisa capaz de salvá-lo.

Faz uma divulgação com os dados do concurso errados sem perceber e atrai todo tipo de participantes… Aqueles que realmente cantam, aqueles que acreditam que podem cantar e os que estão lá apenas pelo prêmio de R$ 100.000,00 (cem mil reais).

Ledo engano.

De todos os milhares de participantes, entre os escolhidos temos:

– Jhonny, um lindo e encantador gorila das montanhas, de uma voz inesquecível, que tem problemas com um pai que acredita que ele deva fazer parte de sua gangue de assaltantes.

– Ash, uma adorável porco espinho, que canta punk rock e namora/namorava um sujeito da mesma espécie, que não reconhece o seu talento e só consegue olhar para o próprio umbigo.

– Rosita, uma porca doce e delicada, mãe de 25 (vinte e cinco)  leitõezinhos, dona de casa e esposa, que na infância, abandonou a carreira de cantora e ainda carrega dentro de si este sonho.

– Meena, uma elefanta um pouco desajeitada e fofa, que sonha em se tornar cantora, com uma voz inimaginável, mas que tem uma grande dificuldade em lidar com a timidez.

E o último e também o mais chato, Mike, um rato prepotente, metido e sabichão, que se acha o mais bonito, elegante, inteligente e sabido de todos, que vive se metendo em confusão.

Juntos, com exceção de Mike (que não ajuda em nada) mesmo em meio às dificuldades e problemas de cada um, eles encontraram uma forma de realizarem os seus sonhos que era o mesmo: cantar a quem quisesse ouvir e fizeram do palco um “The Voice” animalesco.

O desenho conta a história de talentosos animais e nos mostra que com boa vontade, amigos de verdade e disposição, sempre há uma maneira de dar a volta por cima.

Como diz o “Moon”: quando se chega ao fundo do poço, o único lugar que se pode ir é para cima”.

E antes que eu me esqueça, a trilha sonora é fantástica… Sam Smith, Queen, Steve Wonder, Taron Egerton, Seth MacFarlane/Frank Sinatra, Tori Kelly… E mesmo que não fosse eles fizeram e fariam de forma que ela se tornaria.

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta