Sniper Americano

Não sou muito de filmes indicados ao Oscar e nem os acompanho.  Contudo, nas indicações e premiações do ano passado, confesso ter me sentido atraída por Sniper Americano.

Sim… Digamos que eu seja fascinada por filmes de guerra; muito mais do que por qualquer outro.

Atrás das Linhas Inimigas, O Grande Herói, Invencível, Cavalo de Guerra, fazem parte deles… Não seria diferente desta vez.

Talvez um pouco mais delicado… Afinal, existem muitas especulações, suposições e achismos sobre o assunto.

A verdade é que nunca saberemos a verdade. A única pessoa que poderia nos dizer algo está morta; o livro possivelmente retratou veridicamente a história, diferentemente do filme que teve que ser reduzido a duas horas de exibição, mas sempre existirão mais perguntas do que respostas… Lacunas.

Porém, antes de mais nada, a minha primeira obrigação era entender e descobrir o que era um Sniper, e foi o que fiz.

Sniper é um atirador; mas não um simples atirador. Trata-se de um atirador especial ou como definido em alguns lugares, um franco-atirador. Geralmente são militares ou policiais especializados em armas e tiros de longa distância. E existem algumas partes excepcionais no filme, que retratam a arte de atirar com destreza.

Bradley Cooper foi o ator incubado de interpretar e dar vida ao atirador de elite da marinha americana Chris Kyle, em sua jornada.

Mas falar da jordana de Chris Kyle é falar também do eximio atirador de bagda. Provavelmente, os americanos acreditavam que eram os únicos capacitados para tal… Enganaram-se; e foram surpreendidos por terem encontrado alguém com capacidade superior à do seu melhor atirador.

Falar da jornada de Chris Kyle é entrar no mérito sobre a péssima decisão do ex Presidente americano George W. Bush, de atacar um país até que se provasse o contrário, inofensivo… Indefeso.

E o fato de ter utilizado “o atentado às torres gêmeas em 11 de setembro de 2001” como justificativa, para “uma cruzada mundial contra o terror em defesa da paz mundial e da segurança interna” não serviram como argumento… Não serviram para nada.

Segurança interna…

De quem?

Dos americanos?

E as pessoas que viviam no Iraque e não tinham nada a ver com a bagunça toda… Quem os protegeria?!

… Pimenta no dos outros é refresco.

Enfim…

Chris Kyle esteve em missão por quatro vezes, e conciliar suas idas, ações e vida em família, parecem ter se tornado coisas demais… Mas sua vida foi assim… Até o fim.

… E é o que o filme retrata.

Uma história de vida, com suas complicações, argumentos e decisões… E tem o Bradley Cooper… E a história de um homem que se tornou uma lenda e fez o trabalho para o qual foi designado.

É isso!!!

Sniper Americano. 😉

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta