Sobre a escolha profissional

Nos últimos meses, envolvida em cursos e em conversas com outras pessoas da sala e professores, me peguei pensando sobre a escolha profissional… A tão importante escolha.

Na verdade, sinceramente, não acho que seja tão importante assim.

É menos importante do que a sociedade nos leva a acreditar ou nos impõe.

Por que temos ou teríamos que escolher uma profissão?!

Por que ter um título?!

Acho que a escolha da ou de uma profissão é bem menos relevante do que qualquer coisa que você se proponha a fazer e que lhe fará feliz e/ou renderá bons frutos.

E falo por mim… Sou feliz com a minha escolha, mas teria sido bem mais se tivesse investido a grana na viagem dos meus sonhos… Se tivesse me tornado mochileira, andarilha, monge, viajante ou qualquer outra coisa à qual não tivesse que me prender ou pelo qual tivesse que responder; à quem responder.

Entretanto, tem o sonho da mãe/pais e toda a expectativa que eles acabam colocando em cima de você, por causa de um diploma (maldito).

Certo; é bacana quando ela diz: “olha, minha filha faz faculdade em uma das melhores faculdades de Sampa”. Eu também sinto orgulho por isto e terei certeza que cada vez que olhar meu diploma na parede da sala ou na rack, terei orgulho do meu sacrifício; aliás, do nosso.

Quando se estuda, toda a família acaba envolvida mesmo que indiretamente na sua rotina diária, mas o peso é seu, e é isto que as pessoas não percebem.

Entrar na faculdade é a parte mais fácil. Entretanto a rotina de estudos diários, noites em claro e dedicação são maçantes e a pergunta que não quer calar fica martelando a nossa cabeça o tempo todo: “todo o sacrifício vale a pena? Valerá?”

Diariamente, encontramos exemplos de pessoas bem sucedidas e tal, mas quando se trata de trabalhar para os outros, parece que o profissional, por melhor que seja, acaba não tendo o devido valor.

O mercado fixa o preço que ele acha que cada um de nós valemos… E mesmo assim, te cobram aquém disso.

Não são apenas quatro anos de estudos… Tem o aprendizado diário, têm leis, normas, regulamentos, decretos, cobranças… Atualizações sem fim, porque alguém, em algum lugar do planeta decidiu que estas regras deveriam ser modificadas o tempo todo e nós deveríamos acordar dominando tudo.

E o retorno não atinge a expectativa e não paga um terço do dinheiro que investimos… É a graduação, o inglês, cursos de aperfeiçoamento, pós graduação… Não tem fim!!!

E nós que pensávamos que a escravidão havia acabado…

E ai?!

Senta e chora né?!

É ingrato… Tudo por causa da porra de um papel… Que muitas vezes não servirá de nada, porque você acabará fazendo outra coisa que lhe possibilite liberdade, grana de verdade e felicidade, pois nestes tempos de hoje, a economia está uma bosta e o país (parece) indo por água abaixo.

Bem, acho importante sim termos algo palpável; talvez em algum momento possamos usar para dizer: você sabe quem eu sou?

rs… Brincadeira.

Mas desde que realmente nos faça feliz… Independe do que for e aonde for.

Sendo assim… Boas escolhas. 😉

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta