Um mundo perfeito

Quisera eu viver em um mundo perfeito…

Ah, só de imaginar, sinto um êxtase sem fim.

Bom seria se… Se tudo na vida, inclusive as pessoas, fossem exatamente como desejássemos e agissem como o esperado.

Tenho certeza que os aproximadamente 7,2 bilhões de ocupantes deste planeta seriam as pessoas mais felizes já existentes na terra.

Uau…

E eu, que sempre achei que a felicidade não estava ao alcance das minhas mãos, de repente, no mundo perfeito, seria completa.

Para começar, não haveria um animal sequer abandonado nas ruas. Todos teriam lares, carinhos, pais amáveis e os seus agressores sim, viveriam acorrentados e enjaulados. Mas peraí?! Em um mundo perfeito, os animais nunca seriam maltratados.

Em um mundo perfeito, os mendigos não correriam o risco de serem queimados. Eles seriam livres para ir e vir, e no perigo da noite, teriam uma moradia para onde voltar.

…  Esqueci-me; em um mundo perfeito, não haveria perigo.

Em um mundo perfeito, as crianças não seriam aliciadas, exploradas ou prostituidas. A única obrigação que teriam, seria estudar e ter uma infância de verdade, dignas de boas recordações.

Em um mundo perfeito, os nossos pais nunca partiriam; em hipótese alguma nos abandonariam e seriam sempre os nossos super-heróis.

Em um mundo perfeito, todos os beijos teriam o encaixe perfeito; os olhares seriam intermináveis, os carinhos seriam infinitos, o sexo seria inesquecível e a primeira vez, qualquer que fosse ela, memorável.

Em um mundo perfeito, todos teriam direitos iguais. Respeitaríamos a diferença do outro. Não nos incomodaríamos quando alguém quisesse ser diferente e a palavra respeito, seria a que prevaleceria todos os dias.

Em um mundo perfeito, as pessoas sempre usariam as palavras obrigada, por favor, com licença e desculpa. Quer dizer, elas jamais usariam a palavra desculpa, não haveria o porquê.

Em um mundo perfeito, seriamos menos aficionados pelo mundo digital e prestaríamos mais atenção ao outro, ao que ele diz; ao que é palpável e não apenas capitalizado.

Em um mundo perfeito, amaríamos as nossas profissões; amaríamos qualquer coisa que fizéssemos. Acordaríamos todos os dias com tesão em poder fazer aquilo que tanto gostamos e as escolhas, seriam sempre adequadas. Teríamos prazer não apenas na sexta feira, mas aos domingos à noite e às segundas feiras também.

Em um mundo perfeito, não precisaríamos ser controlados pela última vez em que olhamos e recebemos as mensagens pelo whatsapp ou pelo facebook, e entenderíamos que talvez o outro, não pode responder ou fazer nada por nós, naquele momento.

… Em um mundo perfeito, não haveria guerras e nem demarcação de territórios; todos poderiam viver dignamente, fosse do fruto de seus trabalhos, ou do alimento advindo de suas terras. Teríamos bons médicos, bons governantes, transporte adequado e ainda melhor, poderíamos caminhar alegre e livremente por ruas e calçadas que não fossem esburacadas e melhor, sem correr o risco de sermos atropelados, assassinados e termos os nossos corpos jogados por aí. Não haveria a necessidade de existirem tantos carros. As pessoas optariam pelas bicicletas, skates, patins, skyline.

Em um mundo perfeito, as pranchas não precisariam ficar disputando espaços no mar, pois os melhores picos seriam compartilhados por todos. Saberíamos o significado exato das palavras dividir e compartilhar.

O mar, a luz do sol, a água de coco e boas companhias, seriam os nossos únicos medicamentos.

Pena que o mundo perfeito não existe. Existe apenas o mundo particular de cada um e dentro de todos nós.

O lugar aonde sonhamos e desejamos coisas deste tipo, para nós e para todos ao nosso redor. O único lugar, aonde talvez ainda sejamos capazes de ser o que queremos, sem medo.

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta