Uma curva no tempo

Uma curva no tempo… E se a vida lhe desse uma segunda chance?!

E assim está escrito na capa do livro.

E se a vida lhe desse uma segunda chance?!

… Me fiz está pergunta algumas vezes… E tenho duas respostas para ela.

A primeira, é que eu nunca, jamais, escolheria viver; ter nascido. Mas, em uma segunda hipótese, diria eu que gostaria ter tido um pouquinho mais de sensibilidade para modificar algumas coisas; ou melhor, tê-las feito diferente.

O livro se resume a uma vida, duas histórias e inicialmente, uma única chance para enxergá-la diferente e mudar tudo o que estiver ao seu alcance.

O que parecia incrivelmente fácil… Só parecia.

Rachel, perdeu o seu melhor amigo em um acidente, quando o mesmo optou por colocar-se em perigo para salvá-la.

Ganhou uma cicatriz no rosto que nunca a deixaria esquecer o trágico dia e um grande vazio no coração e em sua vida.

Mas em um golpe de sorte, o que o autor nos leva a acreditar em dois momentos diferentes, Rachel sofre um pequeno acidente e quando desperta, tem uma nova chance de colocar tudo no lugar.

Entretanto, havia um problema. Ela havia esquecido os últimos cinco anos de sua nova vida, tinha em mente apenas a parte ruim do que vivenciou nos últimos anos, que era totalmente adversa à de todos a sua volta e fica o tempo todo, tentando entender aonde errou e em que parte se perdeu.

Esqueceu-se do noivo pelo qual era perdidamente apaixonada e percebeu que ele já nem tinha assim tanta graça; viu milagrosamente seu pai curar-se do câncer que o estava consumindo aos poucos; recebeu feliz, a notícia de que havia concluído a faculdade e recebido o seu tão sonhado diploma e reencontrou Jimmy vivo, o que lhe tirou um enorme peso das costas e lhe abriu uma infinidade de sorrisos.

Ah… Bom seria se a história terminasse assim.. Mas como diria Vinicius de Moraes: “todo grande amor só é bem grande se for triste…”.

E não falo apenas de amor entre pessoas de sexos diferentes ou do mesmo… Neste caso, trata-se do amor entre amigos e também entre pais e filhos.

O final, não é exatamente como esperávamos que fosse, mas é um tanto quanto surpreendente!!!

Talvez tenha sido como havia de ser.

;).

CintiaOlimpio

CintiaOlimpio

Eu sou uma misturinha de tudo...
Loucura, sensatez, bagunça e lucidez...
Tem um pouco de mim aqui... Outro tanto acolá e muito espalhado por aí.
Sou uma mistura de sol, vento, brisa e mar...
Vezes calmaria e outras ventania... Menina.
Apaixonada pelas palavras, pelos sorrisos alheios, por mãos e por costas... Por mentes brilhantes também.
Devoradora de livros e um tanto desequilibrada quando se trata de natureza, esportes radicais e liberdade.
Escolhi os números como profissão, mas tenho descoberto que posso ser bem mais do que isto... Posso me tornar o que eu quiser... E provavelmente, me tornarei um tanto de outras coisas!!!
CintiaOlimpio

Últimos posts por CintiaOlimpio (exibir todos)

Deixe uma resposta